Exibido em: 17.08.2018

Selma defende prisão perpétua e chora ao lembrar filha morta pelo câncer



A candidata ao Senado, juíza Selma Arruda (PSL), admite que, caso eleita, fará parte da chamada Bancada da Bala e que dará sustentação a Jair Bolsonaro, que pode se eleger presidente da República.  Selma salienta que deixou a magistratura com certa frustração, por ver bandidos de colarinho branco saírem ilesos e com os bolsos cheios após fazer um acordo de delação premiada. "Fizeram foguetório quando anunciei minha aposentadoria; eu ouvi  os fogos", diz. A juíza, apesar de tida como durona, se mostra uma mulher sensível e relata drama familiar em lágrimas, pela morte precoce da filha, aos 25 anos, vencida pelo câncer, após nove anos. Selma conta que a filha morreu no dia da eleição e que foi votar depois de sair do velório. "Com um metro e meio, brigando contra leões, se eu não fizesse cara feia e tivesse postura rígida e séria, eu não estaria aqui hoje". 

 

Veja na íntegra a entrevista. 

01 Comentário(s)

Renata Alves - 29.08.2018

Parabéns por me dar a oportunidade de conhecer um pouco mais, sobre esta mulher e seus projetos como candidata, que admiro muitos ou agepen.

Programas anteriores

+ Ver todos