10 de Setembro de 2021, 09h:29 - A | A

Nacional / RECUO DO PRESIDENTE

Ciro: Nota de Bolsonaro é rendição mais ridícula e humilhante da história

Pré-candidato do PDT à Presidência critica nota em que o presidente recua depois de ataques ao STF

PODER 360




O pré-candidato do PDT (Partido Democrático Trabalhista) à Presidência da República, Ciro Gomes, afirmou nesta 5ª feira (9.set.2021) que a nota do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recuando sobre o discurso de 7 de Setembro “é a rendição mais ridícula e humilhante de um presidente em toda história mundial”. E, disse, “prova de que ele não tem mais autoridade política nem moral de governar o país”.

“Sinceramente não sei se sua nota traz mais alívio ou vergonha. Não deixa de trazer certo alívio momentâneo, porque sua covardia, sendo maior que sua irresponsabilidade, nos livra temporariamente de um desenlace mais dramático. Porém nos traz uma imensa vergonha porque é a confirmação final de que nosso amado Brasil tem — ou tinha — como presidente um personagem insano e destituído de qualquer hombridade moral”, afirmou Ciro.

O ex-ministro disse ainda que não se surpreenderá “se no futuro viermos a descobrir algum tenebroso e imoral acordo por baixo das letras desta nota”. Isso, afirmou, não surpreenderia nem mesmo “os incautos seguidores” do presidente, que, segundo Ciro, Bolsonaro “empurrou para a desgraça e o ridículo, abandonando-os, em meio à batalha, como o mais covarde dos comandantes”.

O pré-candidato do PDT ao Planalto finalizou sua nota, afirmou também que é preciso ter atenção à nota divulgada pelo chefe do Executivo federal. “Tudo que vem de Bolsonaro não se pode confiar”, disse. “Bolsonaro produziu a mais sensata insensatez de toda a história política brasileira. E um insensato deste calibre não pode continuar presidente, pois é um risco permanente para o país”.

O pedetista foi um dos políticos que repercutiram a nota de Bolsonaro, redigida pelo seu antecessor, Michel Temer (MDB). O atual e o ex-presidente se encontraram no Palácio do Planalto depois da escalada das tensões, provocada pela paralisação dos caminhoneiros, posteriormente desestimulada por Bolsonaro –sem sucesso. O presidente recuou do discurso mais agressivo feito às manifestações do 7 de Setembro, quando atacou o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes.

ais cedo, Ciro Gomes disse que irá nas manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro convocadas para o próximo dia 12 de setembro pelo MBL (Movimento Brasil Livre). Ciro tenta ser o candidato do PDT à Presidência da República em 2022.


Comente esta notícia



GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Rua das Orquídeas, 247 Bosque da Saúde Cuiabá - MT 78050-010

(65)33583076

RepórterMT
G5 NEWS
CONEXÃO PODER