01 de Outubro de 2021, 08h:50 - A | A

Nacional / INCITAÇÕES ANTIDEMOCRÁTICAS

PGR diz que Bolsonaro iniciou convocações para 7 de Setembro

Informação consta em inquérito aberto no STF para investigar o financiamento e organização dos atos

PODER 360




O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é indicado pela PGR (Procuradoria Geral da República) como o 1º convocador dos atos com pautas antidemocráticas e pró-governo do 7 de Setembro, das quais ele participou. Segundo o órgão, foi depois da convocação do presidente que a organização dos atos começou.

A indicação de Bolsonaro como o instigador do 7 de Setembro foi em um documento enviado pela procuradoria ao STF (Supremo Tribunal Federal) em 4 de setembro. A Corte mantém um inquérito para investigar o financiamento e organização dos atos.

No documento da PGR, a qual o jornal O Globo teve acesso, o 7 de Setembro começou a ser organizado em 15 de agosto. Nesse dia, segundo o órgão, Bolsonaro teria divulgado uma mensagem por WhatsApp em que defendia um “contragolpe” às manifestações contra seu governo.

A subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo afirma que a mensagem foi uma “entrevista” dada por Bolsonaro. No mesmo 15 de agosto, o jornal Metrópoles divulgou a mensagem, que teria sido encaminhada a ministros de Estado, apoiadores e amigos do presidente.

Na mensagem, o “contragolpe” é citado e a Constituição é chamada de “comunista”. Também convoca os apoiadores do presidente a irem à avenida Paulista no feriado da Independência.

“[…]o tamanho desta manifestação deverá ser o maior já visto na história do país, a ponto de comprovar e apoiar, inclusive internacionalmente, para que dê a ele e às FFAA, para que, em caso de um bastante provável e necessário contragolpe que terão que implementar em breve […]”. Leia a íntegra abaixo.

A mensagem de 15 de agosto, segundo a PGR, foi o “marco temporal em que iniciadas as convocações para os atos antidemocráticos previstos para o dia 7.9.2021”. Mas não é explícito se Bolsonaro é um dos investigados no inquérito ou se é apenas citado. Também não é indicado os supostos crimes praticados pelo presidente da República ao instigar e participar de manifestações contra as instituições democráticas.

O inquérito do STF está sob relatoria do ministro Alexandre de Moraes e é mantido em sigilo. A organização do 7 de Setembro já motivou operação da PF (Polícia Federal) contra aliados de Bolsonaro. Em 20 de agosto, o deputado Otoni de Paula (PSC-RJ), o cantor Sérgio Reis, o caminhoneiro Zé Trovão e mais 7 pessoas foram alvo da PF e passaram a ser investigados depois de falas sobre atacar o Senado e o STF.

O primo dos filhos de Bolsonaro, Leonardo Rodrigues de Jesus, conhecido como Léo Índio, também está sendo investigado pela PGR. O órgão apura seu envolvimento na organização e financiamento dos atos do 7 de Setembro. Leo Índio teve suas redes sociais bloqueadas e depoimento autorizado.

Eis o trecho da mensagem encaminhada pelo presidente, segundo o Metrópoles:

“Hoje, fazer um contragolpe é muito mais difícil e delicado do que naquela época, além do grave aparelhamento acima relatado, temos uma constituição comunista que tirou em grande parte os poderes do Presidente da República e foi por estes motivos que o Presidente Bolsonaro, no início de agosto, em vídeo gravado, pediu para que o povo brasileiro fosse mais uma vez às ruas, na Avenida Paulista, no dia sete de setembro, dar o último aviso, mas, desta vez, ele reforçou que o ‘contingente; deveria ser absurdamente gigante, ou seja, o tamanho desta manifestação deverá ser o maior já visto na história do país, a ponto de comprovar e apoiar, inclusive internacionalmente, para que dê a ele e às FFAA, para que, em caso de um bastante provável e necessário contragolpe que terão que implementar em breve, diante do grave avanço do golpe já em curso há tempos e que agora avança de forma muito mais agressiva, perpetrado pelo Poder Judiciário, esquerda e todo um aparato, inclusive internacional, de interesses escusos”.

Comente esta notícia



GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Rua das Orquídeas, 247 Bosque da Saúde Cuiabá - MT 78050-010

(65)33583076

RepórterMT
G5 NEWS
CONEXÃO PODER