01 de Agosto de 2022, 14h:55 - A | A

Poderes / GIGANTE DO AGRO

Blairo Maggi assina carta pela democracia

As empresas de Blairo, Amaggi e o banco AL5, já aderiram ao manifesto por meio da Febraban e da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), da qual Blairo é presidente do Conselho de Administração da Abiove.

DO CONEXÃO PODER



Gigante do agronegócio, o ex-ministro da Agricultura e Pecuária, Blairo Maggi (PP), assinou a "Carta da Democracia", em defesa das urnas eletrônicas. O manifesto soma mais de 500 mil assinaturas.

A adesão de Blairo Maggi ao manifesto reforça o indicativo de que ele irá apoiar abertamente a candidatura do ex-presidente Lula (PT). Em Mato Grosso, aliados diretos de Blairo, o senador Carlos Fávaro (PSD) e o deputado federal Neri Geller (PP), que tenta se eleger senador, fecharam com o petista e têm a missão de fazer o elo entre o agro e Lula.

 As empresas de Blairo, Amaggi e o banco AL5, já aderiram ao manifesto por meio da Febraban e da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), da qual Blairo é presidente do Conselho de Administração da Abiove.

 Recentemente um áudio do primo de Blairo, o empresário Elusmar Maggi, sócio do grupo Bom Futuro, viralizou com a declaração de qie ele fez armazéns com dinheiro do PT a 'jurinhos de 2,5% e três anos de carência. Na mesma fala ele critica o presidente Jair Bolsonaro (PL) por não liberar crédito aos produtores rurais.

Leia mais: Dono da Bom Futuro admite que fez armazéns com dinheiro do PT

  A carta tem sido criticada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), que destaca que o manifesto é apoiado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e ocorreu por causa da liberação do do Pix, que teria tirado recursos dos banqueiros.

Clique aqui e veja quem assinou

 

Comente esta notícia

JOSE F A PEREIRA 03/08/2022

Bolsonaro vai enterrar todo esse povo no dia2 de outubro no voto .

1 comentários

1 de 1


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Rua das Orquídeas, 247 Bosque da Saúde Cuiabá - MT 78050-010

(65)33583076

RepórterMT
G5 NEWS
CONEXÃO PODER