12 de Julho de 2021, 14h:11 - A | A

Poderes / CPI DA COVID

Bolsonaro chama Renan, Omar e Randolfe de “três patetas”

Presidente comentou denúncia de propina na negociação de vacina e disse que só os três senadores acreditam na acusação

METRÓPOLES




 

Em interação com apoiadores nesta segunda-feira (12/7), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a fazer críticas à cúpula da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, que investiga ações e omissões do governo no combate à pandemia e avança em suspeitas de corrupção na negociação de vacinas.
O mandatário da República chamou os senadores Renan Calheiros (MDB-AL), Omar Aziz (PSD-AM) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) — respectivamente, relator, presidente e vice-presidente da CPI — de “três patetas”.

“Me acusam de corrupção de uma coisa que nós não compramos. E se tivesse corrupção — pode haver, né? — a gente apura e pune. Agora, para comprar 400 milhões de doses com 1.000% de propina, né? A imprensa toda disse aí: ‘Ó, vai comprar vacina com 1.000% [de superfaturamento]’. A um dólar cada vacina, que seria a propina, daria 400 milhões de doses vezes 1.000% e vezes 5 reais daria em torno de 250 bilhões de reais. Que propininha? Pra um cabo da PM do DF. Quem acredita nisso? Só aqueles três patetas da comissão: Renan, Omar e o saltitante. A história tá bem clara, não enxerga quem não quer”, disse o presidente.

O chefe do Executivo federal fazia referência a uma denúncia de irregularidade na aquisição de 400 milhões de doses de imunizantes da AstraZeneca.
O policial militar de Minas Gerais Luiz Paulo Dominguetti Pereira negociou os imunizantes com o Ministério da Fazenda por intermédio da empresa Davati. Segundo o suposto representante da farmacêutica, integrantes da pasta teriam pedido propina de US$ 1 por cada dose.
A empresa Davati Medical Supply é investigada no Canadá por negociar vacinas contra a Covid-19 em paralelo ao governo local, e sem o aval até mesmo da própria AstraZeneca.

Na sequência, o titular do Planalto minimizou outros temas investigados pela CPI, como o gabinete paralelo e a defesa da cloroquina, medicamento sem eficácia científica comprovada no tratamento da Covid-19.
“A CPI: gabinete paralelo. Que paralelo, pô? Eu tenho aí 30 mil cargos de comissão. Anulamos 10 mil por ocasião da transição. Depois veio a cloroquina, um escândalo da cloroquina.”

A conversa de Bolsonaro foi divulgada por um canal no YouTube simpático ao presidente.
Copa América
O presidente também negou que a Copa América, cujo encerramento ocorreu no último sábado (10/7), tenha provocado um aumento no número de casos de Covid-19 no país.

“Vocês lembram quando eu decidi que a copa poderia ser feita no Brasil, o que o Renan falou? ‘A Copa das mortes’, lembram? Bem, passaram-se 30 dias, o número de óbitos caiu bastante, de infectados também. As narrativas deles não se sustentam, tá certo? Eu não quero brigar com ninguém.”

Apesar de não ter causado aumento no número de mortes e casos, o jornal O Estado de S. Paulo revelou que ao menos uma nova variante do coronavírus que não circulava no Brasil foi disseminada por causa da competição de futebol.

Amostras colhidas do Mato Grosso com duas pessoas diferentes, que estavam com a doença, foram analisadas pelo Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, que identificou a variante de interesse B.1.621, até então inédita em território brasileiro.

Comente esta notícia



GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Rua das Orquídeas, 247 Bosque da Saúde Cuiabá - MT 78050-010

(65)33583076

RepórterMT
G5 NEWS
CONEXÃO PODER