21 de Fevereiro de 2022, 15h:43 - A | A

Poderes / EFEITO ÔMICRON

Emanuel descarta adiar Carnaval e pode ‘acabar’ com ponto facultativo

Segundo prefeito, uma reunião deve ser feita ainda nesta segunda-feira para decidir o assunto

CAMILLA ZENI
DA REDAÇÃO



O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), descartou a possibilidade de adiar as festas de Carnaval para o mês de abril, como havia especulado em sua live semanal, na última terça-feira (15). Entretanto, afirmou que ainda avalia acabar com o ponto facultativo da próxima semana. 

Em entrevista à imprensa nesta segunda-feira (21), Emanuel disse que havia sugerido o adiamento do Carnaval, depois que a mesma decisão foi tomada pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. No entanto, a ideia ainda não estava amadurecida. Agora, ele acredita que a proposta possa ser inviável para Cuiabá.

“Eu falo demais. Vi o Eduardo Paes fazendo no Rio e achei interessante, então iria avaliar. Mas acho inviável mudar o Carnaval. Ou cancela ou não. Vamos buscar outra forma de potencializar nossos carnavalescos, os empresários que lidam com o carnaval. Quero até conversar com eles”, pontuou o prefeito. 

Leia também - Emanuel se oferece como ‘Plano B’ ao Governo se Wellington recusar

Pela proposta estudada pelo gestor, os dias de ponto facultativo pelo Carnaval, 28 de fevereiro e 1º de março, seriam transferidos para o feriado de Tiradentes, tornando a data, em abril, um "feriado prolongado".

Segundo Emanuel, para bater o martelo sobre o assunto, uma reunião deve ser realizada na tarde desta segunda-feira. A expectativa é que o prefeito anuncie sua decisão ainda hoje.

Caso a Prefeitura  decida cancelar o ponto facultativo, na próxima semana, o expediente segue normal. Contudo, se o calendário previsto no final de 2021 for mantido, o ponto facultativo vai de segunda-feira (28) ao período matutino do dia 2 de março, quando é celebrada a quarta-feira de Cinzas.

Comente esta notícia



GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Rua das Orquídeas, 247 Bosque da Saúde Cuiabá - MT 78050-010

(65)33583076

RepórterMT
G5 NEWS
CONEXÃO PODER