02 de Janeiro de 2022, 11h:22 - A | A

Poderes / "QUEM DER MAIS, LEVA"

Estado fará chamamento público para mudar nome da Arena Pantanal

Secretário espera arrecadar de R$ 7 milhões a R$ 8 milhões com contrato de merchandising

FERNANDO SOARES
DA REDAÇÃO



Empolgado com a ascensão do Cuiabá Esporte Clube no cenário do futebol brasileiro, o secretário de Cultura, Esporte e Lazer do Estado, Beto Dois a Um, informou que deve avançar com um projeto que é desejo antigo da sua gestão. Nos primeiros meses de 2022 o Estado irá fazer chamamento público para os contratos de “naming rights” (expressão inglesa que significa "direito de batizar ou dar o nome") da Arena Pantanal.

"Eu vou fazer um chamamento público para o "naming rihgts" da Arena Pantanal no primeiro trimestre de 2022. Será o famoso 'quem der mais, leva' e tomara que a gente consiga um valor importante e substancial para poder dividir com a iniciativa privada as despesas mensais da Arena", explicou o secretário.

Beto também falou sobre a repercussão positiva da Arena Pantanal no cenário nacional, que está atrelada à participação e permanência do Cuiabá na Série A do Brasileirão, além do sucesso da Copa América na capital mato-grossense, sendo inclusive "queridinha" da maior competição entre seleções da América do Sul.

Leia também:

Cuiabá antecipa série de demissões; três têm contratos rescindidos

"Algumas pessoas fizeram consultas informais sobre a possibilidade, porque é uma prática que está muito comum em todo Brasil. A Arena hoje em dia está 100% ativada, a queridinha da Copa América, sendo a casa do Cuiabá na Série A pelo segundo ano consecutivo. Eu acho que, cada vez mais, desperta interesse das grandes empresas", destacou Beto.

O secretário relatou que o "naming rigths" é um contrato de merchandising pelo qual uma empresa coloca sua marca como nome de um equipamento e que esse "negócio" seria uma troca entre iniciativa privada e poder público. Alguns estádios do Brasil já adotaram o mecanismo de publicidade, como Alianzz Parque (estádio do Palmeiras), Neo Química Arena (Corinthians) e Arena Itaipava (Vitória e Pernambuco).

"Naming rihgts é uma autorização para que a iniciativa privada possa utilizar o seu nome em parceria para anunciar a Arena, porém, a operação continua sendo nossa. É uma troca comercial, o espaço publicitário da Arena, do nome, da aplicação, do chamamento dela, com contrapartida do recurso financeiro para que a gente possa aplicar na gestão e manutenção do estádio", relatou o chefe da pasta.

Sobre as propostas, o secretário revelou que algumas empresas fizeram consultas informais, mas que nada foi oficializado. "Por enquanto são informais, qualquer coisa que nós falarmos sobre isso é uma grande ilusão, porque é poder público e só tem validade a hora que você fizer o chamamento e a empresa oficialmente apresentar a proposta de patrocínio", informou.

Por fim, o gestor estimou que esse tipo de contrato de merchandising pode render de R$ 7 milhões a R$ 8 milhões ao ano para o palco do esporte mato-grossense. "Vou tentar fazer um lance mínimo, que é o valor do custo operacional da Arena por ano. Ano passado nós tivemos algo em torno de R$ 7 milhões, esse ano um pouco mais talvez, mas eu acho que meu ponto de partida seria esse", concluiu.

Comente esta notícia



GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Rua das Orquídeas, 247 Bosque da Saúde Cuiabá - MT 78050-010

(65)33583076

RepórterMT
G5 NEWS
CONEXÃO PODER