30 de Novembro de 2022, 13h:00 - A | A

Poderes / ALMOÇO COM DEPUTADOS

Mauro explica polêmica sobre "confisco de terras" e pede cautela sobre PEC dos Aposentados

Proposta de confisco de terras foi bastante criticada pelos parlamentares

THAIZA ASSUNÇÃO DAFFINY DELGADO
DO CONEXÃO PODER



O governador Mauro Mendes (União) almoçou com deputados estaduais no Palácio Paiaguás, nesta terça-feira (29), para explicar sobre a polêmica proposta de "confisco de terras" para quem praticar desmatamento ilegal, que apresentou durante a 27ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP-27), em Sharm El Sheik, no Egito.

A fala de Mauro foi bastante criticada pelos parlamentares e outros segmentos em Mato Grosso. Os deputados já haviam decidido conversar com o governador para que explicasse a proposta à Assembleia Legislativa.

Ao sair do almoço, o deputado Paulo Araújo (PP) explicou que Mauro demonstrou preocupação de Mato Grosso sofrer com sanções do mercado internacional e queria "chamar a sociedade para o debate".

 

“Ele falou que quando apresentou a proposta, era para chamar mesmo a sociedade para uma discussão, da mesma forma como eles estão discutindo lá na Europa. Ele quer trazer Mato Grosso para dentro da legalidade”, disse.

 

 “Falou da preocupação do mundo com o meio ambiente e, logicamente, da preocupação de Mato Grosso, que quer se adequar dentro da legislação. A Europa inteira cobra, inclusive, no consumo que esses produtos tenham origem de áreas desmatadas”, acrescentou.

 

 Na reunião, Mauro ainda debateu alguns projetos que serão enviados ao Parlamento ainda neste ano, entre eles, a renovação do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) e uma proposta de taxação ao setor de mineração.

Ele ainda pediu cautela aos parlamentares sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que altera o teto para taxação dos aposentados e pensionistas do Estado. A proposta é aumentar a isenção da taxa de 14% dos aposentados que ganham até R$ 3 mil, para todos que recebam até R$ 7 mil.

Conforme o presidente da AL, Eduardo Botelho (União), Mauro citou que a PEC pode trazer prejuízos financeiros ao Estado. 

“A conversa é a mesma, só para explicar para os deputados que está mandando o Fethab, uma taxa da mineração e, evidentemente, uma discussão sobre a PEC dos Aposentados, pedindo cautela e explicando a condição financeira do Estado”, disse.

Comente esta notícia



GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Rua das Orquídeas, 247 Bosque da Saúde Cuiabá - MT 78050-010

(65)33583076

RepórterMT
G5 NEWS
CONEXÃO PODER