01 de Junho de 2022, 08h:20 - A | A

Poderes / "DITADURA DO PT"

Tigresa: Se fosse uma atriz pornô branca, loira e rica não tinham barrado

O Partido dos Trabalhadores não incluiu o nome dela na lista dos pré-candidatos a deputado estadual divulgados esta semana.

DAFFINY DELGADO
DO CONEXÃO PODER



A atriz de vídeos eróticos, Ester Caroline Pessatto, conhecida como “Tigresa Vip”, criticou a decisão do presidente do Partido dos Trabalhadores de Mato Grosso (PT), deputado estadual Valdir Barranco, por não incluir o nome dela na lista de pré-candidatos a deputados estaduais que vão disputar as eleições em outubro.

Tigresa disse que o preconceito está promovendo um desgaste no partido. Além disso, destacou que, "se fosse uma atriz pornô rica não teria sido barrada".

"Eu acho que, se eu fosse uma atriz pornô rica, de olho claro e pele branca, com certeza eles iriam me aceitar. Mas como eu sou pobre, preta e já passei fome, por isso eles não me aceitam", criticou.

A lista com os 13 nomes que vão disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa pelo PT foi divulgada esta semana. O documento foi homologado durante encontro realizado no domingo (29) e agora será levado à federação firmada com o PV e PCdoB.

Para a atriz, todo esse imbróglio que envolveu sua filiação e agora com a não inclusão do seu nome na lista de pré-candidatos, tem tornado o Partido dos Trabalhadores em Mato Grosso uma ditadura.

"Eu venho sofrendo uma perseguição política dentro do partido, sim, e essa meia dúzia de pessoas que não querem me aceitar, está fazendo com que o partido vire uma ditadura. E falando sobre o presidente estadual, Valdir Barranco, ele tinha que ter me aceitado, sim, porque esse alvoroço todo está prejudicando o partido", declarou Tigresa.

"Eles não querem aceitar uma pessoa como eu do lado deles, mas se o Brasil for um país justo, eles vão ter que me aceitar, porque eu não vou desistir", acrescentou.

Batalha por filiação

Ester travou uma batalha judicial após ter sua filiação barrada, tanto pelo diretório estadual, quanto pela Executiva Nacional do PT, logo após ter sido lançada como um dos nomes a disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Na semana passada, ela conseguiu uma liminar concedida pelo juiz Alexandre Paulichi Chiovitti, da 38ª Zona Eleitoral de Santo Antônio do Leverger, que determinou que o PT a inclua na lista de filiados do partido no prazo de três dias. Ainda assim, não conseguiu ser inclusa na lista de pré-candidatos à Assembleia, como almejava.

Comente esta notícia



GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Rua das Orquídeas, 247 Bosque da Saúde Cuiabá - MT 78050-010

(65)33583076

RepórterMT
G5 NEWS
CONEXÃO PODER