29 de Abril de 2020, 15h:24 - A | A

Repórter MT / HÁ 37 ANOS

Júlio criou fundo no período que governou MT para disputar o Senado

Serviço Nacional de Informação identificou que Júlio Campos pagava credores do Estado quando era governador, em 1983, desde que 10% retornassem para o financiamento de sua campanha

RAUL BRADOCK
DA REDAÇÃO




Documentos do Serviço Nacional de Informação, órgão de espionagem no Regime Militar, aponta que Júlio Campos, pré-candidato ao Senado, quitava contas do Estado de Mato Grosso, enquanto era governador em 1983, desde que 10% dos valores retornassem para um fundo. O dinheiro acumulado teria um único objetivo. Financiar a campanha eleitoral do então governador ao Senado Federal.

Os documentos do SNI foram publicados pelo site Congresso em Fogo. Os documentos atribuem crimes como corrupção, fraude eleitoral e até assassinatos aos irmãos Júlio e Jayme Campso (DEM).

A fraude

Segundo os agentes do SNI, a fraude era feita por meio de uma empresa em Mato Grosso do Sul, intermediária dos credores de Mato Grosso na época. Essa empresa encaminhava os credores para Jorge Antônio Pires de Miranda, cunhado de Júlio Campos em 83 e este os encaminhava ao governador.

 

“Por outro lado, esta Agência Regional tomou conhecimento de que a empresa DINAMICA NASSER REPRESENTAÇÕES LTDA, com sede em CAMPO GRANDE/MS, é a intermediária dos credores de MATO GROSSO com o Governo daquele Estado. Esta empresa age da seguinte forma: encaminha tais credores à JORGE ANTONIO PIRES DE MIRANDA (cunhado do Governador); este, por sua vez, os encaminha a JÚLIO JOSÉ DE CAMPOS, o qual concorda normalmente em saldar as dívidas; entretanto, deixa pré-es tabelecido que 10% dos totais”, consta no arquivo.

Júlio Campos foi governador de Mato Grosso de 15 de março de 1983 a 15 de maio de 1986. Após, ele foi eleito sucessivamente Deputado Federal de 87 a 91. Só em 1991 ele foi eleito senador e ocupou o cargo até 1999.

Outro lado

Procurado pelo #reportermt sobre as denúncias levantadas, Júlio afirmou que nunca foi processado enquanto era governador.

“São adversários políticos, que existem de muitos anos, que agora, aproveitando dessa possibilidade de eleição para o Senado, estando minha candidatura muito forte”, disse. 

Leia mais: Júlio diz que vazamento de arquivos do SNI são para prejudicar candidatura ao Senado

Em 2020, Júlio Campos é pré-candidato na eleição suplementar ao Senado, aos 73 anos de idade.

As eleições ocorreriam em 26 de abril, mas foram suspensas devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e está sem dada para realização. A expectativa é de que o pleito seja realizado em outubro, junto com as eleições municipais.

Comente esta notícia



GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Rua das Orquídeas, 247 Bosque da Saúde Cuiabá - MT 78050-010

(65)33583076

RepórterMT
G5 NEWS
CONEXÃO PODER