19 de Fevereiro de 2020, 14h:33 - A | A

Repórter MT / CPI DO PALETÓ

Sílvio reafirma que deputados recebiam propina de R$ 50 mil por mês

O ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, Sílvio Corrêa, confirmou que o prefeito Emanuel Pinheiro, à época parlamentar, fazia parte da lista

RAFAEL MACHADO
RAUL BRADOCK




O ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, Sílvio Corrêa, reiterou nesta quarta-feira (19), durante oitiva na Câmara de Cuiabá, que Emanuel Pinheiro estava entre os deputados estaduais que receberam propina.

Sílvio foi convocado novamente para prestar esclarecimentos após a reformulação dos membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, que foi criada para investigar Pinheiro por suposta quebra de decoro e obstrução da Justiça.

Na época, Emanuel era deputado estadual e foi filmado recebendo vários maços de dinheiro e colocando nos bolsos do paletó.

Durante oitiva, o ex-chefe de gabinete comentou que na época foi combinado que cada parlamentar receberia R$ 600 mil de propina, e Emanuel fazia parte da relação dos deputados que eram ‘beneficiados’ pelo esquema.

Sílvio destacou que a propina era paga mensalmente, no valor de R$ 50 mil. Ele ainda relatou que recebia pressão dos parlamentares quando havia atrasos.

“A gente era pressionado direto para fazer os pagamentos. Se atrasava eles faziam pressão. Então, resolvi gravar nesse dia, não me recordo o horário. Teve essa reunião que não me lembro se era no período da manhã ou da tarde, estavam todos lá e o Valdísio [Viriato, ex-secretário] conseguia me entregar o dinheiro no dia e onde foi feito aqueles pagamentos”, explicou.

O ex-assessor de Silval ainda relatou que recebia pressão dos parlamentares quando havia atrasos, mas não lembrou se Emanuel teria pressionado para receber sua parte. Disse que resolveu realizar a gravação no dia em que os deputados estavam reunidos com o então governador, Silval Barbosa, no Palácio Paiaguás. Ele escondeu a câmera e pediu ao servidor Valdecir Cardoso para que enquadrasse a imagem.

Sobre a gravação de áudio feita pelo ex-secretário de Estado, Alan Zanatta, Sílvio Corrêa afirmou que a mídia prejudicou seu processo de delação porque teve que esperar uma perícia e teve que realizar novo depoimento.

Questionado se a ação do ex-secretário seria para beneficiar Emanuel Pinheiro, o ex-assessor de Silval respondeu: “Isso, com certeza”. No entanto, ele não soube responder se a atitude de Zanatta teria sido a mando de Pinheiro.

Próximos depoimentos 

O ex-governador será ouvido no dia 2 de março, seguido por Valdecir Cardoso - responsável por enquadrar a câmera usada para gravar Emanuel, entre outras pessoas, dia 9.

O ex-secretário de Indústria, Comércio, Minas e Energia, Alan Zanatta, foi convocado para estar na Câmara dia 16.

Comente esta notícia



GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Rua das Orquídeas, 247 Bosque da Saúde Cuiabá - MT 78050-010

(65)33583076

RepórterMT
G5 NEWS
CONEXÃO PODER