05 de Fevereiro de 2022, 11h:55 - A | A

Poderes / COBROU ESTADOS

Jayme alerta que litro da gasolina pode chegar a R$ 10 e defende zerar impostos

Projeções internacionais apontam para novos aumentos no preço do barril de petróleo, o que deverá impactar ainda mais o preço dos combustíveis no Brasil

CAMILLA ZENI
DA REDAÇÃO



O senador Jayme Campos (DEM) defendeu que os governadores adotem medidas para reduzir o percentual do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado sobre o preço dos combustíveis, e defendeu que o Congresso Nacional crie uma lei zerando os impostos federais do setor.

Jayme destacou que as projeções internacionais apontam para novos aumentos no preço do barril de petróleo, o que deverá impactar ainda mais o preço dos combustíveis no Brasil, e informou que uma simulação dos especialistas já apontou que o preço da gasolina pode chegar a R$ 10 em algumas cidades.

Dessa forma, ponderou que é preciso intervenção dos estados e do governo federal para que a situação não fique ainda mais prejudicial para os consumidores.

“Os estados, hoje, estão muito bem financeiramente e não pode o povo ficar pagando a conta, porque ele tem efeito dominó. Quando você paga um petróleo, óleo diesel sobretudo, que 70% do transporte brasileiro é rodoviário, quem paga a conta é o cidadão que está lá na ponta, porque vai subir tudo, desde vestimenta, alimentação, remédio, tudo sobe”, avaliou o senador.

Leia também - Fávaro apresenta PEC para controlar preços de combustíveis, gás e energia

Jayme lembrou que o governo de Mato Grosso já anunciou uma redução da alíquota de ICMS em diversos setores, mas considerou que a medida teve pouco efeito em relação aos combustíveis. Isso porque, com a política de preços da Petrobras e as variações do preço internacional, o custo para os motoristas brasileiros continua aumentando. 

“Por isso defendo que os estados têm que dar sua contribuição e reduzir o ICMS. Mato Grosso fez a parte dele, mas pouco, pode fazer muito mais”, disse.

Para tentar reduzir os efeitos dos preços internacionais no bolso dos consumidores brasileiros, o presidente Jair Bolsonaro chegou a aventar a possibilidade de enviar uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para o Congresso, alterando a cobrança de impostos sobre os combustíveis, mas, nesta semana, voltou atrás e cobrou que o Congresso tome uma posição.  

“Algo tem que ser feito. Acho que o Congresso tem toda a disposição de votar uma matéria como essa. Ninguém votaria contra uma matéria tão importante para reduzir, ou seja, tirar os impostos, os tributos em cima do petróleo, que o governo federal cobra”, manifestou Jayme.  

Na quinta-feira (3), o senador Carlos Fávaro (PSD-MT) apresentou uma proposta de emenda constitucional que permite que estados e municípios reduzam impostos sobre o diesel, para tentar atenuar o impacto dos aumentos dos preços em setores como o transporte público. 

Segundo o senador, os custos seriam cobertos pelos dividendos que a Petrobras tem que distribuir para a União, que é acionista majoritária da estatal. A proposta também complementa a emenda que prevê pagamento de auxílio-diesel para caminhoneiros, ampliando o benefício de R$ 1,2 mil até 2023. O tema, porém, ainda vai ser discutido.

Leia também

Jayme: Tirar receita de um município e passar para outro é chover no molhado

Emanuelzinho defende união de esforços para reduzir preço dos combustíveis

Comente esta notícia



GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Rua das Orquídeas, 247 Bosque da Saúde Cuiabá - MT 78050-010

(65)33583076

RepórterMT
G5 NEWS
CONEXÃO PODER